Siga-nos

A ausência de indicadores de resultado e de desempenho nas empresas

Por: Conrado Jorge Bernardi

Ao longo dos anos, temos observado que algumas Empresas têm dificuldade em trabalhar com indicadores que informem os resultados e principalmente, o desempenho de seus próprios sistemas de gestão.

Muitas Empresas gastam horas com reuniões internas, entretanto, sem indicadores ou mesmo com indicadores sem a devida relevância, comprometem, principalmente, a tomada de decisão.

Sabemos que, para implementar mudanças é necessário tempo, porém, o tempo utilizado na definição de indicadores e na "apuração", é muito mais benéfico do que consumir horas "elucubrando" para tentar entender as prováveis causas de oscilações nos resultados, ou dificuldades no cumprimento de metas comerciais/orçamentárias.

Observamos que, alguns aspectos dificultam a definição e utilização de indicadores, são eles:

  • Dificuldade em estabelecer uma rotina para que os funcionários "donos" dos processos da Empresa, reúnam-se para definirem o que, como, porque e quando medir.
  • Falta de critérios ou conhecimento para escolha dos indicadores (os indicadores têm requisitos e finalidades).
  • Continuidade (permanência) do sistema de medição (muitas vezes o sistema é interrompido e perde-se a credibilidade, aprimoramento dos índices e dados históricos).

Também, alguns modelos ou ferramentas de gestão tais como: BSC – Balanced Scorecard, Programas da Qualidade e Produtividade, CSC – Centro de Serviços Compartilhados, sistemas de meritocracia na área de Recursos Humanos, ferramentas de FORECAST para avaliação de cumprimento de metas de vendas, PDCA – Planejar, Executar, Verificar e Agir dentre outros, simplesmente, não existem sem indicadores ou não atendem se a qualidade apurada dos indicadores não for confiável, ou seja, não obedecer aos métodos e critérios para escolha e coleta.

Atualmente, há uma grande quantidade de literatura disponível sobre indicadores ou KPIs (Key Performance Indicator), que auxiliam muito na escolha e definição dos índices.

Contudo, é imprescindível que a Alta Administração patrocine o sistema de medição do desempenho possibilitando:

  • Tempo necessário para definição, apuração e análise de indicadores.
  • Equipes que conheçam os processos e que sejam treinadas sobre os métodos necessários para escolher indicadores que demonstrem eficiência e eficácia.
  • Validação dos índices definidos e critérios de apuração.

A transferência de conhecimento e metodologia específica, pode ser obtida por meio de assessoria empresarial ou mesmo, literatura disponível sobre o assunto em livrarias, bibliotecas, internet etc.., citadas anteriormente.

Assim, quando a Empresa passa a utilizar indicadores de desempenho, automaticamente, começa a dispor de dados para análise estatística, proporcionando reuniões produtivas e com decisões em um grau elevado de assertividade.

Enfim, sem indicadores ou sem critério de escolha dos mesmos, não há garantia no processo decisório das áreas ou da Empresa como um todo.

Para gerenciarmos qualitativamente e com eficácia, temos que monitorar o desempenho dos processos e consequentemente, a Empresa.

Adicionar comentário


Código de segurança
Atualizar